Missão/Orgânica Colóquios/Conferências Investigação Formação
    Entrada > Colóquios/Investigação > Visiting fellows do IEM domingo, 25 de Setembro de 2022
 
Projectos IEM/FCT
Projectos Europeus
Outros projectos financiados
Cátedra UNESCO
Redes temáticas
Protocolos de investigação
Visiting fellows do IEM
Bolsas Marie Curie


Flag Counter

Ander Salinas

«Transformaciones administrativas y sus efectos sobre la relación entre la monarquía y la nobleza de la Navarra del siglo XIII»

El objetivo principal de mi tesis doctoral es analizar la manera en la que cambia el modo de recompensar a la nobleza por sus servicios a la monarquía navarra a lo largo del siglo XIII. Es por ello por lo que parto de un análisis del sistema de tenencias desde el reinado de Sancho VII el Fuerte (1194-1234), en donde ya se empiezan a ver manifestaciones de lo que iba a ser la nueva organización territorial encabezada por las merindades, para ver cómo se integra esa nobleza en las nuevas estructuras estatales que estaban formándose. Posteriormente, pretendo realizar un estudio sobre la emergencia y consolidación de la nueva realidad administrativa e institucional encabezada por las merindades y de los diferentes oficiales reales durante los reinados de Teobaldo I, Teobaldo II, Enrique I (1270-1274) y Juana I (1274-1305), así como de las nuevas formas de distribución de la renta.

El punto de llegada de mi investigación es la guerra civil de 1276, también conocida como Guerra de la Navarrería, en la que una gran parte de la alta nobleza se rebeló contra la monarquía. Como consecuencia de este conflicto, la alta nobleza navarra fue descabezada y sus patrimonios fueron confiscados por el rey. Dichos patrimonios han quedado registrados en los Registros de Cuentas del reino, por lo que se aspira a estudiar la importancia de los beneficios que obtenían los nobles del servicio al rey, por ejemplo, ejerciendo como alcaides en los castillos o como receptores de algún feudo de bolsa, en comparación con el que obtenían con otros ingresos de su patrimonio personal.


Gonzalo Escudero Manzano

«As comunidades locais da fronteira douriense altomedieval e a sua relação com o reino de Leão e com o califato de Córdoba (séculos X-XI)»

O objetivo deste projeto é analizar a expansão e a implantação dos poderes centrais (leonês e cordobês) sobre as comunidades locais no sul do Douro altomedieval. A premissa é que este processo não se realizou num vazio demográfico nem sobre umas comunidades desorganizadas, senão que a autoridade central foi uma ideia difusa projetada de muitas formas no território através da negociação com os líderes locais. Portanto, a intenção é rever o presunto protagonismo desempenhado pela autoridade central e reformular a acção da agência campesina. Com este ponto de vista pretende-se acentuar o papel da hierarquização social interna das comunidades rurais e a sua asimilação nas estruturas políticas centrais. Deste modo, o projeto aspira obter respostas sobre os diferentes modelos de implantação do domínio central nas entidades rurais num espaço de fronteira, sobre as fórmulas de reconhecimento político mútuo entre ambas escalas de poder e sobre a criação de redes clientelares entre os reis de Leão e os califas de Córdoba com os representantes locais destas comunidades. A partir da utlização de fontes cronísticas, documentais e arqueológicas poderão analizar-se a intromissão central nestas socidades, os trocos e as misturas materiais e o abandono paulatino das expressões culturais próprias. Além disso, servirão para realizar uma cartografía com o propósito de observar as dinâmicas regionais e a evolução diacrónica da implantação da autoridade central nestes espaços.


José Maria García Ríos

Colaboração com o projeto Vinculum

O objectivo central da minha estadia de investigação, tanto no CIDEHUS (Évora) como na Universidade Nova (Lisboa), não é mais do que fazer uma primeira aproximação à realidade que vou estudar nos próximos anos, juntamente com o Prof. Dr. Enrique Soria Mesa. Procuraremos analisar a evolução da propriedade vinculada na Monarquia Hispânica durante o período moderno.

Uma fórmula legal, como sabemos, capaz de preservar o património familiar intacto e inalienável, passando-o de geração em geração por meio de uma ordem sucessória predeterminada. Através deste mecanismo, milhares de famílias foram obrigadas a recorrer à vinculação de parte dos seus bens para evitar a mais do que previsível dispersão do património entre os descendentes, fundamentalmente através de mayorazgos, no caso espanhol, e morgadios, no caso português.

Escusado será dizer que este era o recurso mais eficiente e lucrativo quando se tratava de manter os níveis de fortuna. Mas não só isso, pois essas fundações também ajudaram a potencializar a consolidação social de todos os membros da família, preservando a glória e o património imaterial da linhagem. Sem o recurso a esta instituição, era perfeitamente aceite, no imaginário coletivo da época, que os bens livres, mais cedo ou mais tarde, acabariam por sair do núcleo familiar, fosse por meio de venda, casamento, herança, negligência ou infortúnio.

A originalidade desta pesquisa reside na análise da vinculação como plataforma ideal não só para a proteção dos bens vinculados, mas sobretudo para a agregação patrimonial. Esta capacidade, que advém das leis hereditárias desta instituição, explica a ascensão social de milhares de famílias que emergiram das categorias não privilegiadas e que, a partir de 1505, passaram a vincular os seus bens, acabando muitos dos seus descendentes por integrar a nobreza graças à acumulação de dezenas de mayorazgos e morgadios.

Para isso, tentaremos estabelecer paralelos — e também diferenças — entre os dois reinos (Castela e Portugal), com o objetivo de conhecer os ritmos fundacionais, as tipologias, a extração social dos fundadores, os bens que integravam esta instituição, as cláusulas e condições por elas impostas, etc.

Trata-se, portanto, de um projeto ambicioso, uma vez que, pelo menos o caso espanhol, ainda carece de um aprofundamento das características socio-económicas deste mecanismo para compreender a sua dimensão e magnitude. E para isso, é claro, é essencial a colaboração com os membros do projeto Vinculum, que há anos trabalham intensamente neste tipo de questões, concentrando esforços e recursos para analisar as fundações de vínculos no território português.


Pablo López Gómez

«La gestión de los comunales en la Cornisa Cantábrica desde la época medieval a la actualidad. Resiliencia, conflictividad y paisaje»

Esta tese de doutoramento integra  o trabalho do grupo LLABOR (Laboratoriu Rural de Historia y Patrimoniu) e os projectos de investigação ELCOS (Espacios Locales y Complejidad Social. Las raíces Medievales de un conflicto del siglo XXI HAR2016-76094-C4-1-R) e ENCAM (En Nombre de la Comunidad. Comunidades campesinas en áreas de montaña: definición territorial, gestión colectiva y lugares centrales en la formación de las identidades locales REF: PID2020-112506GB-C43). 

O objetivo da investigação no âmbito do doutoramento é caracterizar as comunidades rurais de montanha no Norte da Península Ibérica, prestando especial atenção aos espaços de uso coletivo. Com isto, queremos que a investigação coloque no centro da atenção as próprias comunidades, a fim de aferir a sua capacidade de agência nos processos de territorialização, a sua resiliência nas formas de ocupação do espaço ou as mudanças que ocorrem no conceito e na utilização da propriedade. Para o efeito, estamos a implementar uma metodologia de perspetiva diacrónica que combina fontes escritas, conhecimentos da população local e dados arqueológicos.

A metodologia foi aplicada em dois microespaços de montanha: Andrúas e Cueiru. Dois palimpsestos arqueológicos nos quais documentamos diferentes momentos de ocupação na mesma área, bem como é visível a pressão assimétrica exercida pelas comunidades ao longo de diferentes períodos. Assim documentam-se desde as primeiras ocupações pré-históricas até aos momentos de intensificação do seu uso durante a Idade Média. Por outro lado, consegue-se também caracterizar as estratégias comunitárias que foram sendo implementadas para manter os direitos coletivos de utilização dos baldios, até aos dias de hoje.


Rodrigo Moreno

«Eva: Espacios Virtuales de la Alteridad»

Mi estancia de investigación en el Instituto de Estudos Medievais (NOVA FCSH) está incluida dentro del proyecto de investigación Eva: Espacios Virtuales de la Alteridad, dirigido por la Profa. Dra. Marisa Bueno Sánchez (Universidad Complutense de Madrid). Este proyecto tiene como objetivo principal la identificación y el análisis de la realidad edilicia de las comunidades cristianas residentes en Al-Andalus. Dentro de esta línea de estudio, mi trabajo durante esta estancia de investigación se concentra en realizar una aproximación, lo más exhaustiva posible, a las diferentes fuentes textuales y materiales, relacionadas con las comunidades cristianas andalusíes que vivieron en el actual territorio portugués. No obstante, enfocaré mi investigación en el análisis de dos casos paradigmáticos: las ciudades de Lisboa y Coimbra.

Los resultados obtenidos serán analizados globalmente con otros casos ya analizados como, por ejemplo, las ciudades españolas de Huesca o Toledo. Este trabajo comparativo pretende ayudar en la creación de un discurso unificado, que abarque toda la Península Ibérica y que describa una realidad histórica que ha tenido tratamientos diferenciados en las historiografías nacionales portuguesa y española.

Por otro lado, como investigador adscrito al proyecto de investigación: A Aldeia Histórica de Idanha-a-Velha: Cidade, Território e População na Antiguidade (séc. I a.C. - XII d.C.), IGAEDIS; financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT) y adscrito al Instituto de Estudos Medievais (NOVA FCSH). En este caso, junto con el Dr. Tomás Cordero Ruiz, se realizarán diferentes trabajos de reconstrucción y virtualización 3D de diferentes edificios en la aldea histórica de Idanha-a-Velha.


Viviana Persi

«Legal Aspects of the Iconographies in Medieval Illuminated Juridical Manuscripts (13th-14th centuries)»

My study is part of the research field devoted to legal iconography. In particular, it focuses on the relationship between text and image in the illuminated manuscripts of the 13th-14th centuries of Roman law, the Libri legales – Corpus Iuris Civilis – compiled between 528-532 AD on the orders of the emperor Justinian.

In the Middle Ages this compilation/consolidation was divided into 5 volumes, forming the basis of legal science and legal education. As such, these volumes were copied, studied, glossed (Glossa magna d'Accursio) and commented on in medieval universities.

My corpus is essentially composed of illuminated legal manuscripts from the thirteenth and fourteenth centuries, produced in Northern Italy, Southern France and Catalonia, from the Latin collection of the Bibliothèque nationale de France. This is an important collection of medieval Roman law manuscripts that could be the subject of an in-depth analysis of rare and rather unexploited material.

Research to date has shown that legal iconography poses a number of problems, particularly in terms of the interpretation and role of the image. My research has led me to the conclusion that images can be given multiple functions: they are not limited to decorating the book or to constituting a visual index allowing the reader/user to orientate himself among its difÒferent parts. On the contrary, the text and images seem to be created for each other. The art of illumination seems to be at the service of legal thought in a reciprocal relationship of enrichment, enhancement, updating and clarification of the text.

My research intends to make an enriching contribution to the studies carried out, until now, by art historians and show that images can be considered as sources in their own right of the legal categories they evoke.


<
> Ficha Técnica
> Termos de Utilização
> Inquérito de Satisfação
> Mapa do Sítio
IEM - Instituto de Estudos Medievais
Avenida de Berna, 26-C | 1069-061 Lisboa