FRONTOWNS – Pensa em grande sobre as pequenas vilas de fronteira: Alto Alentejo e Alta Extremadura leonesa (séculos XIII - XVI) / Think big on small frontier towns: Alto Alentejo and Alta Extremadura leonesa (13th - 16th centuries)
PTDC/HAR-HIS/3024/2020

Unidade de Investigação: IEM-NOVA FCSH
Unidades de Investigação associadas: CHAM-NOVA FCSH; IHC-NOVA FCSH
Instituições participantes: Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (FL/ULisboa); Inesc Tec - Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência (INESC TEC)Universidad de Extremadura (UEX); École des hautes études hispaniques et ibériques / Casa de Velázquez (EHEHI/ CVZ).
Instituições associadasCâmara Municipal de Castelo de Vide, Ayuntamiento de Cáceres.
Investigadora responsável: Adelaide Millán da Costa
Investigador co-responsável: Gonçalo Melo da Silva
Equipa de investigação: Adelaide Millán da Costa (IR), Gonçalo Melo da Silva (Co-IR), Ana Santos Leitão; Ana Filipa Roldão; António Castro Coelho; Daniel Alves; Elena de Ortueta Hilberath; Florencio-Javier García Mogollón; Inês Lourenço Olaia; José Fabián Cuesta Gómez; Julian Clemente Ramos; Leonel Caseiro Morgado; Luis Clemente-Quijada; Luísa Trindade; Pau Soto; Pedro Couto Cardoso; Pedro Correia Pinto.
Consultor: Jean-Luc Fray
Duração: 2021-2024

 

Resumo do projeto:

Este projeto desenvolve-se em 2 abordagens confluentes. A 1ª visa identificar o papel desempenhado por pequenas vilas na articulação de um território de fronteira entre Portugal e Castela, e na relação com espaços mais distantes, explorando todos os vínculos e fluxos que entre esses povoados se estabeleçam, viabilizados ou obstruídos pelas condições geográficas, materiais, políticas ou mentais. Para visualizar e potenciar os resultados, utiliza-se uma base de dados georreferenciada já existente (Mercator -e), incorporando novos layers de acordo com variáveis de conectividade exploradas.

A 2ª perspetiva de análise fixa-se no estudo e reconstituição da evolução do espaço urbano de duas destas vilas, Castelo de Vide e Cáceres. Esta vertente da abordagem articula-se com a modelação e animação em 3D, com o objetivo de observar como os fluxos e os vínculos se refletem no espaço urbano destas duas vilas: reconstituindo as áreas de mercado, de trocas, de convivialidade, de decisão, de representação, bem como as vias e os terreiros e a sua relação com o tecido residencial. 

A vinculação à sociedade encontra-se na essência deste projeto, dada a larga trajetória de trabalho conjunto entre as universidades envolvidas e as vilas da região.