Espaço, poder e propriedade: distribuição patrimonial e redes de poder na Andaluzia na segunda metade do século XIII
por Renata Vereza, 29 de Maio de 2017, às 17h00, na FCSH/NOVA (Edifício ID, Sala 2.21). Entrada livre

 

 

Data: 29 de Maio, 2017
Horário: 17h00-19h00
Local: FCSH/NOVA, Edifício ID, Sala 2.21

O presente trabalho busca compreender as novas configurações espaciais de poder durante na segunda metade do século XIII, no contexto da reorganização territorial da recém-conquistada Andaluzia e do processo de centralização da monarquia castelhana. Esse duplo processo (reorganização territorial e centralização monárquica) obrigou à construção de um conjunto de laços e obrigações que articulassem as diferentes categorias sociais do reino com a monarquia, gerando específicas conformações e distribuições do poder dentro daquele território. Em um cenário onde a estruturação interna dos reinos ainda não estava bem definida, as lutas dinásticas eram ameaças constantes à cisão das monarquias, por isso o controle da população e do território era essencial. A elite senhorial, laica e eclesiástica, estava afeita a sua relativa independência, assim o controle do território era fundamental não somente frente ao inimigo externo, mas também na manutenção do poder interno. O ordenamento espacial, tendo como cabeça as cidades conquistadas, passou a ser elemento de controle régio fundamental do território e das populações neles adstritas

Nota biográfica
Professora do Departamento de História e do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal Fluminense. Professora de História medieval há 20 anos, tem-se dedicado ao estudo do Baixo Medievo Ibérico, com enfase na Baixa Andaluzia e nos processos de Reconquista e repovoamento das cidades e seus entornos e das relações sociais e políticas advindas deles.