Hierarquias urbanas e centralidades territoriais: possibilidades e recursos da história urbana (séculos XIII-XVI)
Atelier Doutoral, dias 15 a 17 de Janeiro, em Madrid, na Casa de Velázquez



 

Data: 15-17 Janeiro, 2018
Local: Madrid, Casa de Velázquez, Ciudad Universitaria, c/ Paul Guinard, 3, E-28040
Organização: École des hautes études hispaniques et ibériques (Casa de Velázquez, Madrid); Programa de Doctorado de Historia y Arqueología y Grupo de Investigación HISERAM de la Universidad Complutense de Madrid; Instituto de Estudos Medievais da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa (IEM-NOVA FCSH); Université de Clermont Auvergne
Coordenação: María Asenjo González (Universidad Complutense de Madrid), Adelaide Millán da Costa (Universidade Aberta; IEM-NOVA FCSH), Jean-Luc Fray (Université Clermont Auvergne)


Programa [aqui] | Inscrições: até ao dia 27 de Novembro [aqui] | Info. website Casa de Velázquez [PT | FR | ES]


Apresentação
A atração que as cidades despertam não é apenas um fenómeno contemporâneo. Os homens de todas as épocas deixaram-se fascinar pelas cidades e, em consequência, viram-nas como lugares imaginados que concentravam virtudes e vícios, associando-as, em simultâneo, à presença do poder. As muralhas, as fortalezas, os palácios, em conjunto com as ruas e praças concedem-nos uma perceção material da existência contínua da cidade, a par de outros aspetos da vida social e política tal como a sociabilidade entre os vizinhos, a atividade artesanal e mercantil e as manifestações da vida religiosa. Um conjunto de identificadores da civilização ocidental associa-se à cidade. Os seus habitantes conviviam sujeitos à vigilância espiritual da Igreja e a formas de sociabilidade escudadas no parentesco, vizinhança ou solidariedade cristã. O contributo trazido pela Idade Média e os inícios do Mundo Moderno à história das nossas cidades parece suficientemente consistente para afirmar que se tratou de um período no qual foram lançadas as bases sociais políticas e económicas que cimentaram a realidade urbana atual.

Mas o estudo das cidades implica o domínio das suas possibilidades de análise, dada a riqueza de quadros, situações e protagonismos que oferece. Com o objetivo de facilitar ferramentas aos doutorandos de história do mundo urbano, no período pré-moderno, foi criado este Atelier que fornecerá quadros concetuais, instrumentos de utilidade prática e recursos para abordar várias particularidades do estudo das cidades, no âmbito geográfico da Europa e da América.

As atividades estruturam-se da seguinte forma: (i) oito conferencias proferidas por especialistas que abordam temas como o desenvolvimento historiográfico, as fontes documentais em arquivos, as suas possibilidades para a investigação e o acesso online, bem como a utilidade das fontes cronísticas e narrativas; (ii) ateliers práticos sobre análise de redes sociais, utilização das bases de dados e de programas de representação espacial como o Inskape. Nestas sessões, os participantes apresentam um resumo do seu trabalho de investigação, atendendo à temática, objetivos, fontes e problemas concetuais e de elaboração. O Atelier dirige-se a estudantes de doutoramento, investigadores e professores que desejem aprofundar as temáticas urbanas, através da assistência ativa às referidas conferências e da sua participação na discussão, em grupos reduzidos com os conferencistas e tutores.

Conferencistas
María ASENJO GONZÁLEZ (Universidad Complutense de Madrid)
Adelaide Millán da COSTA (Universidade Aberta; IEM-NOVA FCSH)
Jean-Luc FRAY (Université Clermont Auvergne)
José Luis DE ROJAS Y GUTIÉRREZ DE GANDARILLA (Universidad Complutense de Madrid)
Carmen LOSA CONTRERAS (Universidad Complutense de Madrid)
María Ángeles MARTÍN ROMERA (Ludwig-Maximilians-Universität Munich)
David IGUAL LUIS (Universidad Castilla-La Mancha)
Ana Isabel CARRASCO MANCHADO (Universidad Complutense de Madrid)
Annabelle MARIN (EHEHI, Casa de Velázquez)

Organização do Atelier
O Atelier consiste em três jornadas de trabalho. Cada jornada divide-se, durante a manhã, em conferências seguidas de um debate com a presença de todos os participantes; à tarde, organizam-se quatro ateliers simultâneos, com grupos reduzidos (à escolha dos doutorandos, de acordo com a disponibilidade de vagas). As línguas do Atelier são o espanhol, francês, português ou inglês. Concebido principalmente como atividade formativa e de caráter prático, destinada a estudantes de doutoramento, o Atelier encontra-se aberto também a investigadores estudantes e professores.

Condições práticas
Participantes (máximo de 20): Dividem o tempo entre conferencias metodológicas e historiográficas e ateliers práticos, animados pelos conferencistas.

Os doutorandos recebem no final um certificado que atesta a sua participação numa atividade de formação pós-graduada.

Custo da inscrição de 50€, a ser pago através de Paypal.

Data limite de inscrição: 27 de Novembro de 2017, até às 17:00 (hora local de Madrid)