1ª sessão do ciclo de conferências: Manuscritos de Alcobaça
24 de março, no Mosteiro de Alcobaça (Sala do Capítulo, entrada livre)

 

 

 

Data: 24 de Março, 2017
Horário: 15h00
Local: Alcobaça, Mosteiro de Alcobaça, Sala do Capítulo (entrada livre)

A primeira sessão do Ciclo de Conferências: Manuscritos de Alcobaça decorrerá no dia 24 de Março, e conta com as conferências das investigadoras Conceição Casanova e Catarina Miguel:

 

1ª Conferência
"Traçar o percurso histórico de manuscritos de Alcobaça através da análise de encadernações: diferentes casos de estudo", por Conceição Casanova (Museus de Lisboa, UL; Departamento de Conservação e Restauro e REQUIMTE da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa; Instituto de Estudos Medievais da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa)

A encadernação, enquanto elemento principal de protecção de um manuscrito, é habitualmente restaurada/ substituída com o intuito de recuperação da funcionalidade do codex. Esta abordagem implica a utilização de técnicas invasivas que alteram a estrutura da obra, levando à perda irremediável de informação histórica sobre as encadernações e sobre o percurso do próprio manuscrito. Não obstante, marcas indeléveis são deixadas nos manuscritos, que nos permitem traçar a sua trajectória e caracterizar diferentes modus operandi, ao longo dos séculos. Esta apresentação foca a investigação sistemática levada acabo sobre os vestígios materiais de encadernações em manuscritos, enquanto elementos identificadores de culturas de produção material, contribuindo para o conhecimento de encadernações histórias e o percurso dos manuscritos, bem como das instituições que os albergaram. Serão observados aspectos como costuras e formas de empastes de nervos, produção de transchefilas e materiais e técnicas de cobertura, por forma a definir padrões de execução em Portugal, por comparação com produção noutros locais da Europa, em contexto medieval.

2ª Conferência
"Haja Luz: as hagiografias românicas Alcobacenses num contexto europeu – revelações de singularidades materiais e das técnicas de execução de Alcobaça", por Catarina Miguel (Laboratório Hércules, Universidade de Évora)

Há muito que a coleção de Alcobaça é apresentada como excecional no contexto dos manuscritos românicos iluminados produzidos em Portugal. Muitas foram já as comparações iconográficas feitas com outras coleções internacionais, no entanto nunca antes foi possível proceder a um estudo comparativo das materialidades e técnicas de execução de Alcobaça num contexto europeu. Nesta comunicação serão apresentados alguns dos resultados decorrentes do estudo sistemático dos materiais e técnicas de produção de um conjunto de manuscritos Cistercienses que integram três das mais excecionais coleções de manuscritos medievais: Alcobaça – a mais importante coleção Cisterciense Portuguesa; Vaticano – a mais excecional coleção de manuscritos; e a coleção de Troyes – que integra a maior coleção de manuscritos cistercienses produzidos em Claraval. Os resultados obtidos evidenciaram a excecionalidade da produção de manuscritos em Alcobaça no início da atividade do seu scriptorium, ao mesmo tempo que alicerçou a ideia de existência de uma partilha de conhecimentos e de materiais entre Cristãos e Muçulmanos que, à época, integravam o território Português. Por outro lado, a comparação de um conjunto de hagiografias Alcobacenses com alguns dos manuscritos mais emblemáticos da coleção de Claraval (nomeadamente, com os dois volumes da Grande Bíblia de Claraval), evidenciaram a excecionalidade da execução artística e dos materiais utilizados na produção das iluminuras de Alcobaça, posicionando estes manuscritos entre o que de melhor se produzia à época na abadia-mãe de Claraval.